Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adivinha!

Adivinha sobre o que vou falar hoje? Um sitio onde posso falar de tudo o que me apetece...

Adivinha sobre o que vou falar hoje? Um sitio onde posso falar de tudo o que me apetece...

Adivinha!

29
Mai06

(imagem retirada da net)

Existem coisas do arco da velha...
Que nos fazem pensar, quão frágil é a vida...
De um momento para o outro estamos bem e segundos depois estamos mortos...
É estranho...
Imaginem uma família normal, pai, mãe, 3 filhos.
Uma vida familiar agradável e uma vida conjugal perfeitamente normal...
De repente o casal tem uma daquelas discussões (normais) de casal, nunca houve violência doméstica entre eles, sempre foram um casal perfeitamente normal com as discussões normais...
Mas de repente sem motivo aparente acontece o pior, no meio da discusão acesa, ele aproxima-se dela, ela numa atitude de revolta empurra-o, ele tropeça...
(quantas vezes não fizemos o mesmo tentar afastar alguem que não queremos ouvir)
Ela nunca pensou que aquele gesto tão vulgar a fosse marcar para o resto da vida...
Ele tropeçou e bateu com a cabeça na mesa da cozinha e ficou ali imóvel, de olhos esbugalhados, o vermelho vivo do sangue ainda quente, começou lentamente a espalhara-se pelo chão da cozinha...
Ela em pânico sem saber o que fazer saiu para a rua a gritar "Socorro, alguém me ajude! Que eu matei o meu marido!!"
"Socoooorro!!"
Envolta em lágrimas soluçando por ter feito perder a vida a quem mais amava, chorava deseperada...
(A vida é tão frágil...)
Toda a gente a julga como assassina...
Como pode ela explicar que não tinha intenção que aquilo acontecesse...
Quando olha para os filhos sente-se envergonhada, não por o ter feito de propósito(porque não fez) mas sim porque sabe que privou os filhos da companhia do pai, e privou-se ela própria da companhia de todos...
Ela chora de quantas vezes lhe vem à cabeça aquele momento terrivél, não o devia ter empurrado (mas como poderia adivinhar), no seu intimo pensa q devia ter sido ela, não ele...Mas agora é tarde!
Não há nada a fazer a vida é demasiado frágil...

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2003
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.