Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adivinha!

Adivinha sobre o que vou falar hoje? Um sitio onde posso falar de tudo o que me apetece...

Adivinha sobre o que vou falar hoje? Um sitio onde posso falar de tudo o que me apetece...

Adivinha!

11
Set22

A Cultura...


Milheiras

Talvez esteja a ser tendenciosa, mas acho que ficou comprovado que a cultura (todos os tipos de cultura), são fundamentais para a nossa sobrevivência enquanto seres humanos. Acho que a pandemia veio comprovar isso!

Apesar de na minha casa, com um bebé de meses, nos confinamentos, não houve muito espaço para a cultura, ou talvez não...

Nunca as miúdos em idade escolar foram tão estimulados, para trabalhar com aquilo que tinham em casa, fizemos vídeos a cantar, a tocar, fizemos instrumentos, esculturas, pinturas e diagramas, banda desenhada, fizemos receitas, bordamos...

Se foram dias muito cansativos? Foram.

Se conseguimos ser felizes? Sim, conseguimos!

Agora que estamos a voltar à normalidade incentivo o meu filho investir na cultura. Talvez não lhe possa proporcionar tantas viagens quanto gostaria.

Mas cá em casa nunca lhe faltou livros, e como gosta de música faço os sacrifícios que for preciso para lhe proporcionar experiências inesquecíveis, que eu acabo por viver juntamente com ele.

O meu filho não é melhor que os outros...Nem quero que seja!

Quero que se seja feliz que use a cabeça para pensar, que seja independente mesmo que isso faça com que discorde de mim..

Mas no passado dia 4 de setembro, ele e mais 249 músicos encheram o palco da Aula Magna, na plateia estavam pais e familiares, se alguma vez pensei que seria possivel? Nunca!

Se me senti a rebentar de orgulho, senti mas não foi só por mim foi por todos os pais que incentivaram e permitiram que aqueles jovens durante uma semana, estivessem a divertir-se e a trabalhar para chegarmos a momento sublime como aquele..


 

 

17
Out20

Parece que estamos na 2ª vaga


Milheiras

Sonhar com formiga - Principais interpretações e significado deste sonho

Eu continuo a ver-nos como formigas obstinadas que tentam seguir o mesmo caminho.

Temos de nos reinventar, como? Não sei essa é a pergunta de 1Milhão.

Se calhar a escola neste momento devia ser um misto (aulas presenciais e online) as relações são importantes, mas se fosse um misto talvez fosse mais fácil de controlar os distanciamentos e os riscos.

Ter os médicos e os enfermeiros de família a funcionar como tal, dando pelo menos assistência telefónica...

Precisamos do turismo, mas temos de nos reinventar, temos de oferecer outro tipo de serviços, temos de mudar os pensamentos, os meios e agarrar as oportunidades, temos de pensar em alternativas.

Mas tudo isto se torna ainda mais complicado, porque não ensinamos a muitas gerações o que era o sentido de responsabilidade e algo muito importante, pensar por si próprio. Assim temos de criar obrigatoriedades... E a máscara é o que nos protege, então quando há aglomerados não deviamos ser nós os primeiros a coloca-la sem haver necessidade de obrigatoridades?

 

26
Ago20

Manter uma vida +/- normal


Milheiras

Tantas são as dúvidas que nos assaltam, nestes tempos estranhos...

Não deviamos todos, estar a tentar mudar de vida?

 A finalmente perceber que o interessa não é o ter, mas sim o ser?

O virus não nos veio dar essa oportunidade???

Mas parece que continua tudo na mesma... o que falta acontecer mais para abrirmos os olhos?

Os casos continuam a aumentar por todo o mundo, mas nós estamos a tentar voltar à normalidade...

Qual normalidade? De ir ao supermercado de máscara???

02
Ago20

Dia 215


Milheiras

Hoje é o dia 215º do ano de 2020.

Em 8 meses temos a sensação que passaram 8 anos.

Tem sido um ano duro e confuso, que nos tem posto a pensar...

Bem, para dizer a verdade, a alguns não.

Nós seres humanos, que chamamos aos outros animais de espúpidos...

Quando observamos um formigueiro, podemos ver que vão tão obstinadas que contornam todos os obstáculos que lhe surjam, para chegar ao buraquinho, mesmo que o buraquinho esteja cheio de cola, de pó ou outra subtância qualquer, apesar de isso lhe trazer a morte, não interessa...

Sinto que nós estamos a ser essas formigas, obstinadas por manter uma vida igual à que tinhamos antes da pandemia, sem quereremos ver que nada poderá ser igual...

Agoara estva na altura de corrigir e respensar tudo o que nos rodeia...Mas não, insistimos em recosntruir tudo tal como estava...

O que será que é preciso que apareça mais , para vermos as coisas com outros olhos?

07
Mai20

Dia X ª


Milheiras

Continuo sem saber,  há quanto tempo estou em casa.

Mas esta semana a nossa "Jóia mais precisosa", fez anos e os avós não aguentaram quebraram o isolamento e vieram nos visitar, foi estranho, não nos abraçarmos...

São tempos estranhos e dificeis, mas agora parece que ainda é mais dificil...

Tenho tantas, tantas saudades...

23
Abr20

Confinamento/ Isolamento Social


Milheiras

Continuo a recusar contar os dias...

Continuo a ler, a ouvir queixas sobre este confinamento.

Só estamos fechados na nossa casa...

Como é difícil de ter medo de um inimigo invisível, quando se deu o acidente em Chernobyl, as pessoas queriam continuar a fazer as suas vidas, mas muitas tiveram de deixar as suas casas e toda a realidade que conheciam por um inimigo invisível.

As crianças estão fechadas, em casa. Não é fácil, mas têm todas as suas coisas...

Anne Frank e tantas outras crianças, sótãos, caves, armários, meses e com sorte anos...sem puderem brincar, nem fazer ruídos, porque ninguém podia saber que estavam ali...

E pelo mundo, quantas e quantos passaram por adversidades???

Estariamos esquecidos ou demasiado iludidos??

Será que mais ninguém pensa nisto?

Só quando voltamos ao normal?

 

 

 

07
Abr20

Isolamento


Milheiras

Parece que as pessoas se acostumaram e voltaram a sair, se na primeira semana a rua estava silenciosa, e agora já não, ouvem se carros parados mas a trabalhar, pessoas a conversar...

Fico preocupada...

Cá em casa está tudo bem, tudo na mesma...

05
Abr20

Isolamento social dia X


Milheiras

Não faço ideia há quantos dias não saio de casa, não gosto de fazer essa contabilidade, não adianta, já passaram esses  dias...

É dificil estar tão perto e tão longe da nossa família, ainda não tive tempo para me aborrecer, para estar triste sim. Temos sempre tanto que fazer aqui em casa, agora parece que mais do que nunca temos tanto que fazer...

Ainda não consegui sentar-me e ler, uma coisa que gosto tanto de fazer...

Ás vezes pergunto-me como é que vamos sair desta???

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2005
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D
  261. 2004
  262. J
  263. F
  264. M
  265. A
  266. M
  267. J
  268. J
  269. A
  270. S
  271. O
  272. N
  273. D
  274. 2003
  275. J
  276. F
  277. M
  278. A
  279. M
  280. J
  281. J
  282. A
  283. S
  284. O
  285. N
  286. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub